quinta-feira, 12 de julho de 2012

O amor de quem sabe amar

Frases soltas, verdades ditas, foi-se embora o sorriso que era o sol, neste quarto sobrou somente a escuridão e às quatro da tarde, já não tenho mais companhia para assistir o preferido programa de nós dois.
Vem meu amor, adentra pela janela e deixa a porta trancada, não queremos testemunhas para o nosso ato consumado, vem comigo lavar a louça e contar aquelas piadas sem graça que nos faziam rir como duas crianças. A saber, ainda guardo o refrão daquela música na parede do quarto, meus cigarros andam apagados e as garrafas intactas, não há mais graça, nenhuma graça em me perder nos pecados. Eu sou da noite, você é do dia, mas estou aqui no claro, buscando a alça da sua blusa, o caminho pro teu beijo.
Corre pra mim e esquece o celular no trabalho, não deixa interromperem nosso ritmo, vem que há carinho, muito carinho acumulado, é muito amor pra deixar ser desperdiçado. Despedaçado.
Eu quero você da mesmo forma como os beijos anseiam por flores, como as torcidas anseiam por seus times, eu te desejo como a lua deseja o sol, como o céu deseja o mar, como as estrelas desejam os grãos de areia, eu te amo e não sei dizer de forma simples, eu apenas preciso falar e ecoar para o mundo o sentimento maior que há: O amor de quem sabe amar.