quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Os olhos tristes de um homem

Passou por aqui debaixo de chuva, a chuva de uma única nuvem que lhe cobria a cabeça, como um chapéu cinzento. Sua fé estava apagada, percebi isso nos olhos que iam opacos, perdidos e sem vida, sua dor era tanta que até hoje me pergunto: o quanto suporta um homem sofrido?
Pelo caminho, os cacos se espalhavam, deixando um rastro de tristeza e opressão, seguindo-o, iam as irmãs Angústia e Aflição, aquele homem parecia que carregava uma lápide no bolso e um mundo em ruínas no coração, seu terno desalinhado, seu cabelo emaranhado, seu odor forte de álcool, há quantas noites não dormia? Há quantas noites não se tinha com a cama? As cores em seu corpo denotavam palidez, era como um retrato falado da própria tristeza. Pobre moço, rapaz novo, ia cruzando a Alameda dos Sertões e, entre um passo e outro, deixava brotar uma lágrima.
Sua dor, aos poucos, floresceu alegre em seus olhos, pois, agora, ele era totalmente dela, sem eira nem beira, nem aresta alguma para aparar, de corpo, mente e alma. Tropeçou, caiu e levantou com exaustidão, nem fez questão de limpar-se, mas foi andando adiante, para trás, deixou uma foto acidentada, amassada, com alguns rasgos nas pontas, a imagem era bela, contrastava com aquele ser sofrido - uma donzela, uma linda moça que parecia ser atriz de novela - no verso da foto, apenas uma estrela, uma cruz e um verso, todos com data registrada, devia ser sua amada que agora já não pertencia a esse mundo.
Vagando no escuro, o homem sumiu, não deu tempo nem de avisar-lhe sobre a perda, deixou apenas uma herança para quem seguia seu caminho: "Encontramos na tristeza, a certeza de que a beleza está além de multifacetadas personalidades, ou de roupas caras, ela está num lugar onde apenas os corações apaixonados vão pisar", após isso, deixamos os olhos tristes de um homem seguir o seu caminho sem rumo, esperando que jamais tracemos o mesmo caminho de um homem em luto.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Choices

"Escolhas são tijolos que constituem a obra de nossa vida, se escolhes com qualidade, sua obra se manterá firme, mas se escolhes a esmo, sua estrutura correrá riscos de desabamento."

Autor: Jonathan Erick Vieira da Silva

Então é Natal

Então é Natal, um carnaval de compras, uma transação milionária, milhares de pessoas movimentado milhares de notas e moedas.
Então é Natal, não quero saber o que você fez, mas... me diga: o que você tem? O que você veste? O que você fará? Onde será a festa esse ano?
Então é Natal, não quero cear, tampouco compartilhar, quero saciar minha fome de consumo, minha ânsia por luxos, troquemos logo os presentes! afinal, é tudo que eu posso dar.
Então é Natal, o espírito natalino morreu, ou perdeu-se em meio às multidões das grandes cidades, papai Noel foi assassinado, ou roubado, ou sequestrado, ou então foi seduzido pela corrupção do estado e se mandou para uma ilha qualquer com todos os presentes.
Então é Natal, caridade, igualdade e humildade, perderam espaço pra necessidade de auto afirmação, não me interessa quem passa fome, o que importa é que EU NÃO PASSO FOME!
Então é Natal, deixem os corais perderem as vozes, as crianças se tornarem vorazes, mas cá entre nós, mudando de assunto, o Jesus desses natais é o namorado da Madonna?
Então é Natal, e agora já não existem mais cartões, nem cartas para papai noel, trocamos scraps, comentários, hashtags, nossas crianças mandam e-mails para o papainoel.fofuxo2512@hotmail.com, é o natal mais digital de todos os tempos, temos que nos orgulhar, afinal, isso É AVANÇO! (E viva o progresso).
Então é Natal, e o que você fez? E o que você fará? E onde está sua coragem de mudar?
Então é Natal, cadê o amor? Cadê a família? Cadê o valor?
Então bom Natal, não esqueça do irmão, do velho, nem do novo, pratique o amor como um todo.
Então bom Natal e um ano novo também, que seja feliz, quem souber o que é o bem.

Entrando no espírito natalino.