segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

O remorso do remorso

Toda a certeza que supomos se foi entre os dedos e agora, partidos no chão, se banham em lágrimas os cacos da nossa boa intenção.
E o meu pobre coração se vê distorcido, desistiu de querer voar, e hoje apenas luta para sobreviver. Nossos olhos passeiam pela paisagem pintada em um quadro enquanto minha boca balbucia sonhos perdidos e impregnados de dor.
Da noite pro dia eu me embebedei de ironia, fiz-me um arbusto de espinhos afiados, saí pela noite ferindo corações alheios, retalhando toda e qualquer esperança que pudesse brilhar diante dos meus olhos.
E cada fração minha hoje se afoga em remorso, em agonia... confesso que pereci aos caprichos da minha vontade, mas me reergui ao amanhecer.
Deixemos os espinhos cairem, poderemos errar sem nos esconder e na noite fria e escura, farei brilhar meu amor para cada perdido que perdeu a validade da capacidade de satisfazer a necessidade alheia.
E ao término de tudo, serei uma verdade que fará todo o resto parecer mentira, pois em cada vida há um coração, em cada cabeça há um universo que precisa de um farol para navegar entre as nuvens brancas e macias do céu azul sobre nós.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Pássaro

Pássaro faceiro que canta como o sabiá
Faz a minha felicidade voar
Me deixa sorrir e ir bem lá
Lá onde deixei meu amor a esperar

Pássaro sapeca e saltitante
Veja você também a beleza estonteate
A avançada tecnologia da natureza
A rara paz que nos atinge certeira

Pássaro alado e apaixonado
Sê parte dos meus átomos
Faz de tuas asas as minhas
E juntos voaremos sem pensar em minhas sinas

Pássaro tranquilo e majestoso
Vamos aproveitar dos dias, o gozo
A alegria de nossas paixões
A intensidade de nossos corações

Pássaro amado e exótico
Esqueçamos do óbvio
E com leveza no espírito
Façamos o bem ó nobre amigo.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

UMA VIDA EM OITO MESES: FLORES, BEIJOS, ABRAÇOS E SIMONE CLÁUDIA


Menina dos cachos vermelhos, eu tenho trinta e poucos atributos, e você gosta de todos, eu amo Strokes e você adora Ana Carolina, eu tenho vinte e pouco anos, mas é você quem não desiste dos seus planos por nada e nem ninguém, me diz garota, o que houve na noite passada que me fez rasgar as páginas passadas de minha vida e te assumir como o meu amor daqui até a eternidade?
Em nosso quarto as fotos se espalham pelo chão e pelas paredes, o silêncio não é mais como era antigamente e onde o frio morava, hoje arde uma brasa eterna de um amor intenso e cômico. A noite vai e eu recordo dos momentos mais simples e inesquecíveis que compartilhamos juntos, lembro de você traçando um caminho em minha direção, gravo na memória o teu jeito de olhar, é o olhar de quem sabe o que quer, é a mulher que sabe como caminhar com o queixo erguido e um sorriso estampado na face. É tão forte que não sei o que falar. E enquanto todos fingem saber de tudo, somos nós dois que desbravamos o mundo e descobrimos a nossa verdade, a nossa única e invejável verdade.
Atire-me abismo abaixo, prometo que não cairei, hei de voar pelos céus usando o nosso amor como o par de asas que me levarão até onde os pássaros não voam.
E na vibração das cordas da guitarra eu vou te amar, amar loucamente, ardentemente, apaixonadamente. Sem pretensões de ida, sem passagens de volta, estamos de mãos dadas correndo pela chuva, sorrindo a felicidade de todo dia.
E que o amor seja presente no nosso cotidiano, assim como o pão nosso de cada dia, que nossos dedos não se desentrelacem, pois quando envolvidos, eles abrem a porta para um mundo onde só nossos pés podem pisar.
Que nossa cama seja a verde grama e nosso telhado a negra noite, que nossa banheira seja o oceano e que lá possamos nos banhar despidos, e vestidos com o fino e transparente tecido que é a paixão.
O amor da noite passada, da noite posterior a essa, e a posterior à posterior de hoje, e a posterioridade de toda a eternidade... que meu vocabulário seja lido como algo hilário e que não haja sentido para outros, senão para nós dois. Não pretendo ser poeta do mundo, mas apenas o teu poeta, não almejo o reconhecimento dos outros, mas apenas a tua percepção de que eu sou o homem que faz tudo acontecer todos os dias sempre de uma forma diferente.
Apenas segure minha mão e fique comigo, deixe nossos corpos nús se acoplarem como um encaixe perfeito moldado pela natureza, deixe-me cantar desafinado e dizer que eu não tenho medo daquilo que pode acontecer, apenas fique comigo e eu te levarei pra casa sempre.
Não me pergunte sobre nada, apenas segure minha mão e faça silêncio, você sabe a verdade e não precisa dizer a ninguém, você sente saudade a ponto de sentir que um dia se parece com mil anos, tudo isso ocorre simplesmente por não sabermos de nada, apenas sentir um ao outro, um instinto que nos faz perceber que somos um do outro, dançando todo dia, pelo resto da vida.
E com você não me sentirei perdido, pois você sempre estará lá, e pra você eu sempre farei tudo parecer "Como Se Fosse a Primeira Vez", pois tudo se renovará durante os dias que virão, então que o mundo saiba teu nome, que todos nos vejam pintar na memória da vida, a foto que marcará um amor que só se vivencia de tempos em tempos, então daqui a alguns anos eles irão comentar sobre a história de Erick e Simone, tanto quanto a estória de Romeu e Julieta.


"Ainda que o mundo mude, meu amor por você só crescerá Ainda que a vida seja dura em nossas investidas Vamos juntos sorrir e vencer Ainda que o tempo passe e nos faça de testemunhas para a dor alheia Cultivaremos, juntos, a felicidade plantada todos os dias por nós Porque ao teu lado sou bravo, forte e implacável Pois ao teu lado sou homem realizado, marido apaixonado Um bobo inveterado. Pois em teu nome, achei um motivo pra ir sempre além das expectativas
Pois em você Simone, descobri uma paixão que só se é vivida uma vez na breve vida."


Texto feito com amor, estúpidez e uma porção incalculável de felicidade, a qual preenche nossos espíritos e nos faz ter a certeza de dias melhores.
Texto confeccionado para Simone Cláudia P. Batista - a minha amiga, minha companheira, fiel escudeira, eterna e única namorada, amante e esposa.

A você dedico minha felicidade e alegria de todos os dias, com amor e carinho:

Jonathan E. Vieira da Silva.

sábado, 23 de outubro de 2010

Do amor à felicidade

Os tolos escrevem sobre amor
Os chatos escrevem sobre política
Os inseguros falam demais
Os mentirosos também
Os idiotas querem mudar o mundo
Os inconsequentes mudam o mundo
Os hipócritas mandam
Os alienados não mudam
Os esperançosos sonham
Os derrotados matam os sonhos
Os infelizes choram
E os felizes sorriem demais.

Antes do fim

Antes que os olhos se fechem
Quero viver o meu amor
Dar-te meus abraços
Doar a ti meus beijos
Viver em desmazelo
Guardado ao teu lado
Nas tardes em que o pecado
De cobertor nos servir
Antes que minha boca se cle
Desejo exclamar todos os dias
(e uns a mais que todos)
Que é para sempre meu amor
Desejo a tua tez tocar
Aos teus ouvidos suspirar
Almejo sorrir assim
Com jeito de moleque
E com alegria que não e mede
O sorriso que marcará
Nossas vidas, antes que os olhos fechem
E a boca cale.

sábado, 2 de outubro de 2010

E quando eu não sei que mal faz?

Você tem notado a minha morte repentina? Tem notado meus sonhos em ruínas? E a vida que eu te dei murchou sem perceber.
Eu costumava viajar ao horizonte, costumava ir pra longe, mas agora não sei bem onde estou, tampouco quem sou.
E minhas lembranças me remetem ao homem jovem, de sorriso cativante, cantante e contagiante, mas não o reconheço bem, talvez seja uma miragem de minha mente, ou uma mentira muito convicente.
No auge da minha dor, a noite se ergue e me cobre com seu manto negro, as estrelas me contam histórias e falam sobre uma grande batalha triste, tão triste que as fez chorar sobre meus ombros durante quarenta dias e quarenta noites, me deixando à deriva em um mar de verdades perdidas.
E em meio ao escuro, ecoou meu choro, mas não houve resposta, não houve cais para meu barco e não houve mais o sorriso que sempre dei. Pior é pensar que quando o coração se quebra em mil pedaços, ele na verdade nem sai do lugar... permanece lá, batendo, esperando ser quebrado mil vezes mais.
Mas que mal faz? Se o ruir das paredes revela o conteúdo de uma alma? Que me faz andar nu sem esperar nada de ninguém? Que mal faz andar perdido, curtindo todo e qualquer lugar em que se vai? Que mal faz?

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Pessoas

As pessoas falam do céu enquanto seus pés estão no chão, pedem por perdão enquanto pecam, sonham enquanto acordadas, as pessoas são o máximo da contradição.
Perdidas em suas almas, achadas em sua insanidade, as pessoas são seres de luz e escuridão, a perfeita sincronia entre o bem e o mal, entre a vida e a morte.
As pessoas são obras naturais, e naturalmente, são tão imprevisiveis quanto a própria natureza, as pessas não são iguais, mas são tão parecidas.
As pessoas são um enigma, uma vida é uma equação com suas incógnitas e cada mente saberá o que realizá-la, pois cada pensamento gera uma pessoa e cada pessoa gera uma ideia.
Mas no fim, pessoas são só pessoas.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Súbito pensamento de um pierrot

O sorriso que brilha na noite, a voz que me guia de dia.
O toque que me inebria e os olhos que a luz conduz.
Sou eu o teu amante, sou eu o causador desse semblante de angústia?
Ou sou eu só mais um passatempo? Acaso do tempo para diversão?
Um canto do vento, um arrepio no coração.
O motivo da noite ser escura, os pecados realizados com candura (tornam-se pecados?)
Sou eu o teu servo, sou eu o teu senhor
Amigo, amante, o que quiseres assim sou
Sou eu, eu das piadas estúpidas e das palavras certeiras
Eu que brilho por trás desse sorriso noturno
Eu que me torno o dia ao ser guiado pela tua voz
Sou eu o arrepio do teu toque
O acelerar do sangue nas artérias
Sou eu o paspalho apaixonado, apegado na insonia
Sou eu, confuso e mal amado, mas amante,
Errante, mas sempre amante.

sábado, 4 de setembro de 2010

Vadio

Um vadio que passa na multidão, pedindo esmolas e comendo migalhas de pão.
Um vadio que chora sem censura, que bebe buscando a cura para suas dores.
É um vadio arredio, que ri de tudo e chora sozinho, orgulho e humildade abraçados atrás do rosto sujo de um vadio.
A ele xingam, a ele pisam, mas aquele vadio nunca revida, aquele vadio acredita em coisas lindas, respira coisas lindas e fala coisas lindas.
Um vadio na sarjeta do mundo com as mãos estendidas, um vadio que já foi gente, mas que desistiu de ser indecente ao perder o coração numa aposta onde só dois apostam.
Um vadio, vagando sob a chuva, procurando maçãs, um vadio calado que acorda com o perfume das manhãs.
Ele é só um vadio.

Os verbos

Sonhar...
Sonhar porque é preciso, porque é revigorante, porque é sobrehumano.
Amar...
Amar porque é necessário, porque é enaltecedor, porque é um risco que devemos correr sempre.
Temer...
Temer porque é seguro, porque é algo corajoso de se fazer, porque é institivo.
Cantar...
Cantar porque é lindo, porque é alegre, porque as notas são sempre bem-vindas.
Confiar...
Confiar em sonhos, confiar nos mecanismos do amor, confiar na temeridade e cantar sempre confiante de seus sentimentos.

Seja feliz sempre.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Palavras de um certo apaixonado

Eu não estou cansado, tampouco chateado, estou apenas flutuando na órbita da lua, vivendo as lembranças do nosso amor, ouvindo os sussurros apaixonados que fazem o ar vibrar e a luz apagar.
Quero uma porção de pecados na nossa receita de amor, quero cozinhar em meio às pitadas de tesão e paixão aquilo que nos dá vigor.
Vou arder sobre a superfície da terra, esperando o momento em que possa tocar tua tez morena, em que possa simplesmente beber a juventude plena que brota de nossos olhares trocados no ato prático do amor.
Viajarei através de todas as linhas desse atlas para buscar o perfume das acácias e trazê-lo para banhar teu corpo sob o sereno que nos assiste fazendo movimentos apaixonados e rápidos, pura troca de desejo, todo o espetáculo da consumação do amor.
Desejo que a madruga seja eterna, desejo que a noite seja plena quando nos presentear com a luz de suas estrelas, pois a ti desejo apenas o que há de melhor, a ti desejo somente o sorriso apaixonado que tens demonstrado ao longo da vida.
Vem minha amada, minha senhora, seja sempre minha, seja toda a força que me incentiva a escrever poesias e rimas que te façam sentir saudade de meu corpo, de meus beijos, de meu mais absoluto desejo: O desejo de te amar para sempre.

domingo, 22 de agosto de 2010

Quando a felicidade chegar

Esqueça todo luxo que o mundo possa oferecer, o verdadeiro tesouro está em você e naquelas pequenas passagens da vida que nos renderam risadas.
Amor, abra seus olhos nesse momento, devore as cores de nosso quarto, se espriguice e me acorde, quero ser o teu homem, o abraço que vai te aquecer quando o frio nos visitar nas noites de tempestade, o atraso que vai te render broncas no trabalho.
Sou somente um homem tentando ser o melhor para a mulher que ama, então amor, apenas me sorria quando a lágrima beirar meus olhos, abraça meu corpo e silencia minhas dores, preciso disso, preciso do teu jeito alegre e despojado de ser, na verdade, preciso de qualquer coisa que venha de você.
Vem! Senta aqui do meu lado e me escuta atentamente, quero apenas te dar o que você sempre sonhou, quero dizer que contigo não existe tempo, apenas a existência linear de nós dois, e não esqueça nunca, que enquanto eu viver, estaremos acima de qualquer dificuldade, pois tudo que preciso, eu tenho e tudo que posso ser, serei.
Que ao término dessa noite, um novo dia comece, um novo momento lindo de amor nos envolva, bem como o enredo daquele teu filme preferido, que você enlouqueça por mim, pois eu sempre estarei doido por você, eu sempre lutarei por aquilo que nos traga a segurança e a felicidade e não se preocupe, porque o caminho que sigo é aquele que guarda no fim, a satisfação de olhar pra trás e ver que fizemos tudo de maneira não certa, tampouco errada, mas da forma que melhor nos pareceu e nos fez feliz, então no fim, poderei te abraçar sem falar nada, pois você saberá que todas as palavras se resumem no silêncio daquele minuto para soarem num estrondoso: "EU TE AMO AMOR!"

Uma canção para você

E mais uma vez estou aqui, solitário na noite quente, sentado em um lugar alheio, isolado do tempo, servindo de testemunha para a lua, que sorri faceira para todos nós nessa noite.
Estou aqui com meu violão, cantando para meus ouvidos, sonhando que um dia você possa me ouvir com calma, em uma madrugada qualquer.
Garota, eu tomarei seu tempo uma vez mais, ainda que não possa me ouvir, eu gritarei para o mundo meu amor por você, eu sei que tem sido difícil conviver comigo, sei que não sou perfeito e que sou teimoso e bobo, mas meu amor, tudo que posso tocar, imaginar ou falar nesse momento é sobre você.
E todos meus esforços serão voltados a nós dois, e todas as palavras dessa minha canção para você, viajarão através do dia para os quatro cantos do mundo, mesmo que o homem se volte contra mim, eu estarei aqui, firme sobre meus passos, fazendo o melhor por nós dois, para que um dia todos eles percebam que nós fomos feitos um para o outro.
E então, quando abrirmos os olhos na manhã seguinte, segure minha mão como se não fosse largar nunca mais e com muito carinho e suavidade, sussurre em meu ouvido: "Obrigada por me amar", pois só assim entenderei que me tornei o homem simples daquela canção.

sábado, 21 de agosto de 2010

A valsa da noite

Sozinho e no escuro, encatado pela valsa da noite que toca em cada corpo dançando, e em cada beijo estalando nas pistas de dança.
Meu corpo suado se põe ao léu, buscando no céu a luz das estrelas, que hoje parecem ter escondido suas belezas, mas tudo bem! Enquanto houver amor neste coração arredio, haverá luz em meus olhos.
Sei que estás aí, talvez não esteja no mesmo escuro que eu, quem sabe esteja na cama, suspirando de saudade, mas a verdade é que não estou tão longe, pois ainda consigo te ouvir, ainda posso sentir, com certa intensidade, o calor que brota da tua tez, então por que razão não seguimos rumo à escuridão? Tememos tanto assim o desconhecido a ponto de arriscarmos nossos abraços e beijos? Ou será que os pecados soam mais alto que os gritos de nosso desejo?
Vai saber. O que importa é que por alguma razão, alguma estranha razão! Meu corpo se encontra sobre repouso, flutuando no marasmo de mim mesmo, perguntando se isso está certo, mas sem se preocupar se existe alguma resposta que me sacie a sede de argumentos da minha razão.
Enfim, que seja feita a vossa vontade, esperaremos que em algum momento, com a mais sacra sinceridade, a mão divina guie nossos corpos rumo aos espelhos que um dia refletiu nossos semblantes sorridentes que juntos, formavam o esboço da felicidade. Até lá, danço mais uma vez, preenchido de saudade, a valsa da noite.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Daiquiris, mojitos e um estúpido amigo

Foi lá pelo sexto ou sétimo daiquiri que meu corpo se deu conta de que meu fígado, tal qual meu coração, também tem sentimentos.
Um outro bêbado perdido entre mojitos, ensopado de vinho e definhando mais uma vez numa sarjeta aleatória das ruas de Santiago em Cuba.
A solidão nunca esteve tão sozinha quanto hoje, as maravilhas das virgens não são assim tão maravilhosas, uma face santa com mãos de demônio, essa é a última lembrança que ele tem do terrível impacto que sofrera um pouco antes de perder sua dignidade e sua hombridade.
Um passado de glórias enterrado sobre uma montanha de mentiras e desonras, um céu nublado e uma frieza única, o sentimento interno nunca antes fora tão aprisionado quanto atualmente, que dó de ver meu reflexo no espelho.
Resmunguei em Taíno, na esperança de que ninguém me ouvisse, mas as insolentes estrelas ouviram e reclamaram, faço-me então o inimigo de todos os malditos céus estrelados que servem de inspiração para nojentos enamorados, decepção não mata, é verdade! Ela ensina a beber.
Me afasto da lua vendo o sua melhor face, deixando com ela a lembrança do meu pior lado, é hora de por a maldita mão do coração dentro do bolso e, com a mão direita, seguir andando afogando todas as más lembranças que me dirigem à insanidade no Rum dos piratas.
Esqueça toda aquela besteira sobre amor, esqueça todos os poemas lindos, eu quero viver para sempre e sempre com meu violão espanhol e minha regozijação nos bares da vida.

Rezando por amor e pagando com ingenuidade

Uma noite, um disparo, um coração quebrado, uma dor amarga, capítulos de uma história clichê, porém, acredite, com um final feliz (para ele).
Olhos marejados que fitam o céu, mãos trêmulas que se erguem juntas ao céu, apenas mais um pobre coitado que reza por amor e paga com ingenuidade.
Que maravilha, o terror estampado na face de mais um homem sem esperança, o próximo passo é expor suas intimidades na esperança de que o sabor da vingança sobreponha a sua dor, o resto todos nós sabemos, saias rasgadas, costas arranhadas e corpos ofegantes e suados, deitados sobre rosas murchas, pisadas pelo descontrole e insanidade de um coração que já provou o gosto do amor.
Um violino tocando, gotas de chuva atravessam o céu e misturam-se às lágrimas do pierrot maltratado, seus pecados estão se tornando cada vez mais caros, a ponto de fazer qualquer católico praticante se benzer ao cruzar olhares com esse pedaço de desilusão carnificado.
Sim! Um baile vertiginoso, está lá apenas a negócios, nos quartos orgias épicas, mas tão horríveis que nem mesmo eu - narrador que testemunhou essa dor - ouso descrever, os tambores rufam e as luzes piscam, o ambiente imundo, perfeito para mal amados dançarem sobre suas mágoas e esquecerem o passado, a música melancólica, porém entorpecente, verdadeiro antro de perdição, ou nesses casos, de ascenção, um drinque de limão e uma dança encantada, encontrou um novo par, alguém que o entende, que sente medo, mas não terá medo de quebrar seu coração neste lugar encantado para os desolados.

domingo, 18 de julho de 2010

Um certo shakesperiano

As mãos no bolso escondem os punhos de um campeão, heroi anônimo que vaga em meio ao turbilhão dos dias que escorrem entre os espaços vagos dos ponterios do relógio.
Uma rosa repousa sobre a superfície da mesa, espera ansiosa, tuas mãos aquecidas a tomarem como sua propriedade. Um frio intenso na sala mostra o quão doloroso é sentir tua falta, as marcas dos dedos ficaram nos lençóis, o som dos gemidos ecoam entre essas quatro paredes, minhas roupas ainda exalam teu cheiro, algo tão forte e vivo que me faz beirar o desespero ao meu deparar com a importância da tua vida na minha.
Como eu recordo vivamente aquele par de olhos vorazes que costumavam me devorar com a volúpia inebriante que impregnava a atmosfera de nós dois, mostre-me a tua face e satisfaça meu desejo de amar, estará tudo bem enquanto tua mão estiver com a minha, o vazio do medo mais temido não há de abater nossas almas se nelas houver o amor mais puro e sincero, queimando como as brasas de uma fogueira cigana.
Ah! Como lamento pela noite que se vai sem teu corpo pra guiar o meu neste oceano de saudade, como sinto pelos suspiros, que faço a solidão assistir como testemunha, de um romântico ansioso pela amada. Sinto-me como um personagem não citado por Shakespeare, procurando um lugar ao teu lado para ser mais um dos épicos romances históricos que ultrapassam os limites do tempo, quero, contigo, compartilhar essa felicidade, te mostrar que através da minha coragem e bondade, conquistaremos a tão sonhada felicidade, pois ao teu lado sou heroi, sou principe simples, guiado pelas mãos do destino para repousar ao teu lado nas tardes quentes dos trópicos.
Quero, por fim, declarar meu amor, meu orgulho em ser homem apaixonado, em poder acordar e te ter ao meu lado, ainda que não estejas ao meu lado na cama, mas sempre estarás comigo na caminhada em busca do sucesso, pois este é o amor sincero, este amor que não se dobra com a distância nem com o tempo, pois ele está no mesmo patamar de poder dos deuses.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Fim (do fim)

De braços abertos à beira do abismo, eu abro os olhos e respiro fundo, então tudo se resume apenas em um grito.
Deixo o vento levar as dores daqui, os olhos chorarem sua felicidade e meu coração bater forte para limpar suas mágoas, após isso, abrirei minhas asas e com minhas mãos irei iluminar o céu, esta noite olhe para cima e contemple a chuva laranja caindo sobre sua face, serei eu semeando a felicidade no teu jardim.

terça-feira, 13 de julho de 2010

As paredes de papel (Estória de cinzas e glória)

Um céu iluminado e uma mão suja de terra, um par de olhos perdidos no reflexo da luz das estrelas e um rosto aquecido pelo calor de um abraço, no ar predomina o aroma leve e marcante das margaridas daquele campo.
A música entra pelos ouvidos e percorre as artérias, nesse momento eu não estou dirigindo a viagem, apenas estou sentado no banco do carona, apreciando a paisagem passar.
Você consegue sentir o tempo passando por nós? Consegue sentir o coração acelerar? Um garoto desastrado e uma garota magoada, apenas uma coisa em comum entre os dois: um coração despedaçado.
Um abraço no meio do nada e tudo começa a nascer novamente na alma, percorrendo um caminho que aquece a pele e faz tremer as pernas, um beijo sem sentido, porém, apaixonado, um ritmo incomparável, temos então o circo dos prazeres montados sobre o chão da desilusão.
Sem pensar em cicatrizes ou riscos, eles se movem sobre a grama e tem como testemunha a luz da lua e as estrelas, ornamentos divinos e notas musicais particulares que tocam na vitrola mental de ambos, como dizer não se o corpo e o coração gritam em alto e bom tom um sonoro SIM?
Então todos os dois se veem rodeados de paredes de papel novamente, quebrando o silêncio da noite com o barulho de seus corações eufóricos e os seus pés irrequietos, sejamos justos, amar é sempre uma novidade, não importa quantas vezes se ame.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

O Crime e o contrato

O crime deste coração que hoje jaz em paz sob escombros de paredes pesadas, foi amar demais, o crime destes olhos castigados pelas lágrimas foi o de fitar demais quem nunca os pertenceu.
O contrato do ínicio era de que não haveria um fim, o contrato do amor era entitulado "ad infinitum", mas o crime deste pobre rapaz foi ter amado demais e se amado de menos.

Caricatura da intimidade

Traços mal desenhados espalhados sobre uma tela suja de tintas de cores variadas que juntas, criavam uma nova coloração tão indigna quanto os dois corpos ali esboçados.
Um fundo musical tão triste, porém tão carnal, extraído dos filmes mais nostálgicos de C. Chaplin, uma dor borrada que borracha nenhuma consegue apagar, apenas espalhar mais a sujeira pelo quadro caótico de uma mente estúpida guardada dentro de uma floresta de espinhos afiados.
Ela está dançando sobre o palco agora, seus cabelos são como uma obra perfeita de Da Vinci, mas sua índole é tão admirável quanto o desenho tremido, criado pelas mãos de qualquer menino que tenha pego pela primeira vez no lápis e papel.
Os dois juntos em seu quadro sujo e escuro, projetaram a caricatura da intimidade, a qual arlequim nenhum consegue fitar sem chorar, a imoralidade desta obra é tão inocente que não há, indubitavelmente, ser que possa admirá-la sem menosprezá-la simultaneamente.
Garotos atrapalhados e meninas promíscuas, ambos procurando por um beijo melhor, uma transa mais ardente, um abraço mais forte, todos em um, uma orgia de características únicas que proporcionam a maior diversão que uma garota desnorteada pelos seus próprios punhos (a mentira conveniente) pode ter.
O que há a temer? O contrato da diversão não cita limites, por isso mesmo é tão temido. Uma dança erótica, um rebolado envolvente, uma dor lancinante, uma mágoa inesquecível, uma carcaça no chão, um homem chorão lamentando.
"MARCHEM!" Assim ecoou o grito na noite mais selvagem de uma cidade de bons garotos, todos carregando na carne, a caricatura da intimidade de si.

domingo, 11 de julho de 2010

Tempestade


Caia sobre este chão imundo e inundado de culpa, firmado para sustentar nossos pés que insistem em andar pra frente cambaleando com a nossa relação estúpida e fingida.
Reclame toda a miséria que te falta e cuspa no prato que comeu, o pobre Romeu que tanto te fez sorrir na cama está virando de costas debaixo das gotas de chuvas e indo embora, chega desse ar impregnado de pecados, essa noite eu estenderei meu rosário sobre a lingerie da primeira garota não tão bonita que cruzar meu campo de visão.
A mágoa é abastada quando o assunto é dor, então não reclame dos seus segredos tão escondidos que vieram à tona por si próprios. Me diga, a solidão é o que você sempre temia quando se está acompanhada de copos vazios pra te preencher de vento?
Tantos corpos que bolaram sobre, e dentro de você, qual deles chegou perto de ser como eu? É hilário e patético assistir suas lágrimas rolando pela sua cara de dor quando na verdade tudo que restou foi a saudade de me ter ao teu lado novamente, implore pra ser o que jamais será novamente, o seu heroi hoje irá voar em outro céu, pois toda a composição de minhas promessas foi jogada ao vento.
Você diz que se sente injustiçada, mas hoje você é só mais uma prostituta vestindo os trajes de uma virgem católica radical.
Em meu universo jamais entrarás novamentes, não há mais espaço neste éden que existe em meu peito, pois o meio termo acabou, sendo assim, hoje fecham-se para sempre os braços que juraram te proteger nas noites mais frias e contras os medos mais ferozes que pudessem te assolar.
Portanto, estenda-se sobre o chão e colha as lágrimas que você mesma plantou, sinta meu cheiro e ouça minha voz, mas não tente buscar meus dedos ao teu lado na cama, pois eu cuidei para não deixar nem mesmo as marcas sobre os lençóis, faça bom proveito dos seus amantes enquanto a tempestade cai, brinque com seus brinquedos enquanto o amor sério se vai com os ventos da dignidade que me levaram daqui.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Amigos


Amigos, seres indefinidos que surgem de algum lugar e vão pra não sei onde, nos rodeiam e nos suportam, muitas vezes nos magoam com suas verdades, porém, verdade seja dita, nada mais digno do que um amigo sincero.
Amigos vem em inúmeras formas e tamanhos, muitas vezes nem são da mesma raça, alguns tem quatro patas, mas agem como se tivessem duas, outros se apoiam sobre duas patas, mas vivem como se houvessem nascido para andar sobre quatro patas, mas o que fazer? São amigos, todos são esculpidos sob medida na glória infinita das mãos de Deus, logo, cada amigo carrega em si um pouco de tudo que há de bom, são nossos guias e nossos pupilos, são nossos maiores amores, porém são facilmente trocados por uma paixonite aguda, mas ainda sim, continuam lá, firmes e fortes, pois amigo é, e sempre será amigo.
Amigos mesmo não te cobram nada, mas te dão muito, muitas vezes o que parece ser uma cobrança de afeto, ou de vergonha na cara, é mais uma atitude de doação do que de petição informal feita de autoridade pra autoridade, afinal, todo amigo exerce uma enorme autoridade sobre sua opinião, sobre a roupa que usar, ou sobre o que fazer e com quem fazer.
Amigos são esperados pela vida toda, eles surgem a vida toda, eles duram a vida toda, amigos são mais que amigos, muitas das vezes aquele amigo chato é na verdade a luz da sua noite, o calor do seu dia, amigo é o cara que vai falar besteira dez trilhões de vezes na vida, mas em todas elas nós iremos rir, pois amigo que é amigo, sempre consegue nos arrancar um sorrisos.
Amigos te assistem chorar, alguns choram juntos, não por fraqueza, mas por serem tão amigos que choram conosco para nos fazerem companhia, sendo assim, amenizam o sentimento de solidão.
Amigos são tão amigos, que nos momentos mais chatos de nossas vidas, eles renunciam à amizade, mas quando menos esperamos, ressurgem das cinzas e nos presenteiam com um belo sorriso, afinal, o sorriso de um amigo é o melhor remédio.
Amigos são os esteios que Deus nos deu para que possamos construir nossos valores, crenças e dignidade.
Amigos são tão amigos, que mesmo sendo indefinidos, vindo de lugar algum e indo pra lugar nenhum, sempre continuarão sendo amigos, novamente surgindo quando menos se espera e indo para onde não se faz ideia, mas como amigos, eles estão sempre do seu lado.

Homenagem aos bons amigos. :)

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Peace

Segure minhas mãos e me diga que isso é ser feliz, deixe que o vento leve aos ouvidos alheios a nossa alegria, façamos desse um mundo mais colorido e mais bonito de se viver.
O movimento certo na hora certa pode mudar o universo, então apenas feche os olhos e deixe as gotas d'água cairem do céu e te mergulharem na glória das lágrimas da mãe Gaia.
Brilho da lua, ilumina meus passos e então meu dia será mais claro também, estamos correndo lado a lado enquanto o sol se põe e a brisa de outono nos afaga as bochechas.
Você pode tentar me jogar aos leões, mas meu coração hoje ruge como um, portanto o respeito e a lealdade de um homem irão vencer a tirania de um coração mal amado, não vim até aqui pra vigiar o tempo ir embora, vim pra aproveitá-lo, ser o homem que navega pelo ar com a imponência do olhar.
É bem verdade, que alguns procuram e nunca acham, outros confiam nos seus instintos e alguns pobres coitados não tem ao menos o privilégio de ter instintos pra se guiar, glorifique-se no seu próprio esforço, então o olho da tempestade será mais ameno pra quem tem fé no peito, meus dias de desmazelo se foram, hoje é hora de erguer os punhos ao alto e inflamar uma luta pelas minhas crenças mais impossíveis, pois nada na vida tem graça sem uma boa luta, torne-se o espelho dos mais novos, o ar dos seus amigos, torne-se a causa de uma guerra, mas não seja só mais uma sombra caminhando sem perspectiva.
Meus sentidos não fazem sentido algum, mas meu coração é mais racional que o normal, então quando eu deito agradeço a Deus até pelas lágrimas que caem, pois elas sempre lavam o caminho para uma nova caminhada.
E quando duvidar da minha força, olhe meus olhos e entenda que eu esperei a vida toda pra dizer que eu sou invencivel.

sábado, 3 de julho de 2010

O bom senso de um último romântico (Pelo Rio de Janeiro)

Marinheiro desse oceano de caos, erga a cabeça e receba a benção dos céus, o jovem homem fará seu movimento e então o poder de suas mãos irá explodir em um espectro de cores, invadindo a alma dos homens. Nesse mundo onde a juventude é a engrenagem que se ajusta à palavra e move a história, eu sigo com meus passos maltratados de saudade, dormindo aqui e acolá na rua, rodei o mundo e num encanto de segundo o desencanto do universo veio à mão, a voz da consciência cantava como Tim Maia, então tudo era festa e num instante me vi sair do Leme e reaparecer no Pontal, o som das ondas sonoras das ondas do mar quebravam contra as pedras que são meus pensamentos, ao longe Tom Jobim assoviava para a garota de Ipanema e a noite Boêmia samba va tímida com a Bossa Nova. Hoje no Leblon João Bosco decidiu cantarolar, e então as notas dos dedos cheios de dom do senhor Santos eu descubro que vivemos o tempo do último romântico cheio de bom senso.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Daqui pra frente

Não há inspiração nestas palavras, apenas a necessidade de expor ao mundo a metamorfose de alguém que um dia sonhou.
Jamais quis ir além do que suporto, mas acabei indo, e lá onde cheguei descobri que suporto mais do que jamais imaginei, você pode me surrar e pisar sobre mim, mas nunca aponte o dedo contra meus sonhos, não tente se impor perante a grandeza de meu ser, pois agora estou mais forte do que você, caminhando em direção ao sol no fim da estrada.
O adeus tem um propósito, mas isso não significa que pra toda ida haja uma volta, então o máximo que podemos fazer é trocar um sorriso sincero quando nos cruzarmos por aí.
Daqui pra frente a dor irá para longe, seremos invenciveis, então façamos desse um mundo melhor para evitar que outros passem pelo que vivemos.

sábado, 29 de maio de 2010

Vermelho

Cabelos de fogo espalhados no colchão
Fogo incendiando o corpo e a alma
Alma que queima em brasas de paixão
Sussurros quentes da nossa perdição.

domingo, 16 de maio de 2010

Cinza

Estou voltando à estaca zero, vestido em trapos e caminhando embaixo das gotas frias da chuva, carrego algumas palavras no bolso e meu coração quebrado está guardado na mochila.
Me sento aqui na sarjeta e busco aquele velho arco íris que brilhava aqui na esquina, quem sabe seja só uma nostalgia, dessas que me fazem apertar os dedos contra as cordas do violão e extrair dele as notas mais tristes que um homem vazio pode tocar.
Então meu corpo cansado se rende à companhia da solidão e eu me sinto derrotado, injuriado pelas ações do passado,
Às vezes é preciso esquecer que a vida tem sentido, apenas me observe enquanto nós choramos juntos ouvindo aquela música que diz: "Em algum ponto da vida o pássaro tem que voar, a flor vai desabrochar e as crianças vão caminhar", vamos olhar a multidão passar sem nos notar, talvez assim você entenda que só as lágrimas serão capazes de aliviar a minha dor.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Na chuva

Ele estava lá, parado sob chuva
calado e estatelado, um rapaz bobo
olhando fixo aquelas jades lapidadas
entregue aos pingos d'água
voando sem medo de cair
sabia que há muito o que dizer,
mas também pouco tempo pra fazer,
então pediu: - "não desperdice os minutos
me abrace e vamos voar juntos
estou aqui novamente
sorrindo, e falando gentilmente
olhe no fundo dos meus olhos
estou na chuva te pedindo amor
estou na chuva assumindo a dor
mas estou na chuva por você minha vida"
E no fim tudo mudou
a terra girou e o ponteiro empacou
a multidão olhou e aplaudiu
dois amantes apaixonados
entregues ao ritmo servil
do amor que queimava na chuva.

sábado, 1 de maio de 2010

O sádico está triste

Eu procuro e nunca acho, escalo e nunca chego ao topo, estou farto de tanta besteira corrompendo minha mente, estou cansado de caminhar sem esperanças e sem força de me impor contra as coisas que me ameaçam.
O mundo está ficando menor e eu estou bem maior, grande o suficiente pra segurá-lo nas mãos e jogá-lo contra o chão, quebrando-o em mil pedaços que não poderão ser colados novamente.
Queria que você visse o quão longe eu cheguei, queria que você visse como eu me tornei íncrivel e imparável, queria que você notasse como o gelo das minhas veias queima e se transforma em sangue nos olhos para me movimentar rumo ao vazio do final dos dias.
Estou confidenciando minhas tristezas e todas as reclamações que posso fazer, ao término disso tudo, minhas costas arderão e queimarão minha camisa, estarei então recomposto e apto a conquistar tudo novamente.
Estou sozinho, mesmo segurando todas as mãos do mundo, mesmo beijando todas as bocas, esse sou eu, uma peça solitária, uma mente moldada para ser admirada ou seguida, mas não pra ser amada.
Meu paraíso é essa tempestade, prenda-se na minha armadilha mas não grite por socorro, pois ele nunca virá, estou tão longe do mundo que não posso ouvir nada além de duas ou três vozes.

Resquícios

A paz que não chega é justamente o que eu mais desejo ultimamente, decidi não ter pressa e esperar essa tempestade passar gradativamente.
Entendi que o certo é aguardar até a felicidade passar e me buscar, quero estar aqui quando ela aparecer e decidir ouvir sobre minha vida, vou falar sobre as decepções, mas acima de tudo vou agradecer.
Embora doa lembrar das minhas decepções com as pessoas ao meu redor, sei que vou me manter firme e não vou correr pra baixo da fúria da chuva novamente, então só por hoje, só por essa noite me deixa calar e ouvir uma canção de ninar pra espantar essa dor pra longe.
Olhe pra mim e me capture na sua mão, me esmague e ponha um fim a tudo isso, cansei de levar no peito a medalha de "número 1", isso não vale muito quando não há nada para ser o número 1.
Deixe guardado apenas aquele fascínio que tinha por mim e me eternize dentro da sua mente, enquanto isso eu continuo esperando pela felicidade e me livrando desses resquícios de solidão.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

D'ange saut

Num d'ange saut você surgiu, rodopiando e enviando mensagens subliminares de atração através do teu corpo cheio de volúpia, balé da sedução, semiótica da carne.
Como um anjo do pecado, carregando desejo em seus lábios, você me seduziu até esse abismo, aqui me jogo por uma chance de voar.
Tua força se reflete em teus olhos grandes e vorazes, devoradores de homens, desbravadores de mundos.
Através da tua pele eu descobri o desejo de ser tentado e o prazer de não resistir. Se já não me sei mais, isso é sinal de rendição.
Rodopie e cante em francês, corra o mundo e me faça o teu freguês fiel, você sabe que essa é uma folie a deux, seja meu antro de coragem, seja minha luz de divindade, quero ser um deus que serve, ou um servo que é um deus para você.

"Correndo pelo campo, nesse momento o vento chicoteia, vivemos em pranto, por isso as lágrimas não nos deixam ver as estrelas, mas aqui da sombra, eu vi a luz para voar para fora e te resgatar nesse amanhã incerto, serei forte, mais do que o prometido, serei mais seguro, muito mais do que o desejado, serei todo amor, mais do que o permitido."

Devaneio de um dia corrido

Venha amor! Vamos ver o sol crescer gradativamente por trás das colinas dessa cidade, eu quero te mostrar o que realmente importa nessa vida, aqui eles não podem te ferir, pois a noite pertence aos amantes. A noite pertence a nós dois.
Me dê sua mão e não solte! Quero estar em eterna sintonia nessa alegria de poder estar leve, porque toda vez que nos tocamos eu posso sentir no mais profundo de minha alma, a esperança de ser feliz, esqueça nossas confusões e nossas decepções, sinta o coração bater acelerado, sinta o nosso amor riscar o céu, eu quero você na minha vida.
Vem! Faça dos meus braços o teu castelo, vamos atravessar essa porta e transcender qualquer poema de amor, vem comigo, pois ao teu lado eu sei que posso voar, sei que posso sentir teu toque dentro dos meus sonhos, vem comigo porque eu preciso de você me fazendo sentir isso.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Esconderijo

E a inspiração pra onde foi? E a capacidade de escrever fugiu?
Quero saber onde se refugiaram os sonhos, as palavras, as frases feitas que surgiam num lampejo súbito que acompanhava um suspiro profundo da alma mais decidida que já houve na vida.
Estou agora no meu esconderijo, debruçado sobre cartas e sobre palavras que agem como veneno, a confusão que eu fiz está agora acima do meu alcance.

sábado, 10 de abril de 2010

A frase

E tudo que não preciso é disso que chamam de obsessão.

O rei da dor

E se tudo no mundo tiver uma beleza peculiar? E se todo mundo for cego demais pra enxergar?
E se só eu consigo flutuar acima das coisas efêmeras?
Talvez eu só consiga lembrar de tudo ao me esquecer do que não houve. Crescendo para desistir, caindo para surpreender, o que é isso? Algum drama contorcido da vida real? Ou será minha existência estúpida que foi condenada a se perder em meio às cartas espalhadas pela casa?
Sou o achado mais perdido de todos, um par de olhos embolados em meio às camadas de emoções frias que revestem minha alma.
Quando eu me tornei essa máquina? Quando entrei nessa jornada sem esperança? Sinto isso vindo do fundo, rasgando e estraçalhando qualquer vestígio de mim mesmo.
Segure meu punho fechado, abrace meu corpo cansado, minha mente já não aguenta pensar por todos, minhas forças já não se garantem lutar por todos.
Existe logo acima da minha cabeça, uma mancha preta no sol, tem sido a mesma coisa desde quando essa chuva toda começou, será esse meu destino ser o rei da dor?

Keep me trusting

Me devore com os olhos, me belisque com as unhas, meu corpo em chamas derrete nesse fogo intenso.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

4:03

4:03 da manhã e eu me afogando em algo que nem sei bem o que é, o que existe de tão intenso que me faz prosseguir ainda pensando que é bom acreditar?
Na verdade, o melhor mesmo é aceitar e abrir os olhos castigados de intensas tempestades que choveram de dentro pra fora.
Eu estou andando agora, saindo do buraco, mas esperando, até o último instante, ouvir uma palavra qualquer, talvez você nunca entenda que às vezes o adeus é uma segunda chance para recomeçar.
Ouça a voz te guiar através do dia, sinta o tempo te embalar, eu vou cuidar pra que chegues lá sem muitos contratempos, sei que será o processo mais doloroso a ser vivido, mas essa é a minha escolha, não quero ser compreendido, quero apenas cumprir com minha palavra.
Ninguém nunca percebeu o meu cansaço, ninguém nunca pegou na minha mão e disse "serei forte por nós dois", ninguém nunca enxugou minha lágrima e nem me ensinou como respirar, isso faz com que eu me pergunte se esse é meu lugar de verdade, se eu pertenço a esse mundo, ou, porventura, sou só mais um coração puro sendo apedrejado, dia após dia, só por ir contra as tendências e distribuir esperança à quem surge no caminho.

Andarilho

Não é tão simples quanto achei que seria, é difícil simplesmente andar por aí sozinho.
São tantos rostos, tantos timbres diferentes das vozes alheias que insistem em falar "tudo vai ficar bem", é tanta loucura que prefiro apenas me isolar num deserto à parte do mundo.
Meus pés cansados já não sentem tanta dor, as mãos não são tão macias e a vista já embaça devido ao sono perdido.
O sal vai se concentrando nos lábios à medida que eu ando mais e mais contra esse vento estranho que me isola do mundo.
Eu queria ser resgatado da mesma forma como resgato tantas almas, queria ser fraco na mesma medida como vejo as pessoas fraquejarem, mas não posso, não consigo, então luto por um espaço desmedido, perdido no mundo, escondido aos olhos do restante das pessoas, eu queria ser procurado da mesma forma que procuro, mas sei que ninguém nunca me achará, então me sentei hoje aqui e aqui decidi permanecer, decidir levar essa vida adiante observando os movimentos do universo aqui das sombras.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

O que eu não mando.

As pilhas de envelopes já não cabem nos armários
Vão tomando meu espaço, fazem monte pela sala
E hoje são a minha cama, minha mesa e meus lençóis
E eu me visto de saudade, do que já não somos nós.

Trecho de "As cartas que eu não mando" - Leoni.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Hallellujah

Vou dançar sobre o sol do amanhecer, acordar sem ter muito o que fazer, a não ser, viver outro último dia da minha vida.
Eu ouvi as piadas dos céticos mais fieis à existência de suas crenças contestadas, eu ouvi o quanto ela estava mal, que pena ela não saber que meu estado era pior, esses são fatos que presenciei ao andar pelos caminhos da vida.
Você está sempre pra baixo, mas isso é um engano, existem coisas na sua mente que não são reais e, coisas reais que nunca deveriam ter saído da sua mente, então dance garota, dance com o amor que nós arriscamos apostar dia após dia nesse jogo da vida e descubra que essa é a fórmula da felicidade.
Siga meu conselho senhora da dor, erga seu rosto e voe acima das nuvens, o tempo é curto demais pra sermos escravizados por dúvidas, lamúrias e arrependimentos, eu descobri isso no momento em que eu afoguei minhas mágoas num rio de lágrimas vertical, lavei minha alma e balancei as asas, voltei apenas pra fazer o resgate do seu coração, esse coração amante e inocente.
Somente os mentirosos podem ser fingidos e ingênuos o suficiente a ponto de deixar que o bom da vida se apague com o balançar dos ponteiros, só os idiotas deixam passar uma, duas, três vezes a mesma oportunidade de ser feliz, não seja, pois, um(a) mentiroso(a) idiota.
Eu percebi o potencial de crueldade em cada um, ao ver Deus chorando sobre o reflexo dos meus inimigos, nesse instante o tempo parou e o som emudeceu, essa não é uma maldita cena, mas sim a realização de um pecado.
Intrigante mesmo é ler o evangelho em uma festa de pecados e no fim não ser mais que uma alma em meio à lama da fraqueza humana, mesmo assim, faça uma prece sem deixar os bons momentos passarem, isso no caso de Deus não aparecer por aqui.
Por favor, mostre-me um pouco de coragem em seus olhos e em seu toque, retome aquela bela frase que me faz saltar de qualquer penhasco por você, não deixe que isso se perca no seu oceano de lembranças, dúvidas e receios, eu não sou só um lanche da hora do recreio, sou sim, uma refeição bem feita que irá te deixar mais forte que qualquer um jamais deixou.
Mais uma noite e mais alguns minutos de felicidade lembrando de tudo de bom que vivemos antes do fracasso final, em uma linha reta eu voo o mais rápido que consigo, faço isso na tentativa de parar o tempo e roubar a existência para nós dois, não me julgue amor, eu sou só um anjo cheio de pecados e sem nenhum arrependimento, tomando o comando de uma vida desgovernada. (Você vê a mudança?)
Champagne, festa, livros e alma, segura minha mão de novo, você sabe que ela encaixa perfeitamente na minha, vem! Vou te tirar dessa cadeira onde você costuma olhar o horizonte, e te levar onde o horizonte repousa, seremos então, esposo e esposa, talvez mais que isso, seremos a história mais confusa e mais bela de amor que já se ouviu na terra, saberei então que neste momento, devo revelar a felicidade gritando: "HALLELUJAH".

terça-feira, 6 de abril de 2010

E se

E se eu já achei o amor?
E se eu já sei quem sou?
E se já tenho as forças no máximo?
E se só me resta amar?
E se só faltar você para me completar?

Eu vivo

Eu vivo sem vergonha, sem ter medo de lutar pela honra, vivo e afirmo que tenho meus motivos e minhas motivações para viver.
Vivo e arrisco a dizer, que hoje, mais do que nunca, vivo por você.
:)

Festa de um estranho

Beba o último adeus no copo de meu deus, falta um quarto para as 4 da manhã e nesse quarto pequeno e escuro o tempo não passa, vaga e repousa sobre a cama como um bebê cansado.
Desde quando os sentidos não são tão obrigatórios quanto a satisfação da tua vida na minha? Eu queria crer no velho ditado que diz que o que os olhos não veem o coração não sente, mas algo está além da compreensão humana aqui, talvez porque essa coisa não faça parte dos designios da razão e sim, do coração.
Eu posso usar a regra de ouro pra não me apaixonar, posso continuar chorando e vendo além do que os olhos podem ver, mas sempre terminarei aqui, cara a cara com você, reconhecendo na tua face as mesmas vontades que eu tento esconder.
Não há porque mentir que não queremos um beijo que seja, esse ardente desejo não deriva da pele, mas da calmaria e, simultaneamente, do rebuliço que nós provocamos um no outro, não há mais do que duvidar, não há mais porque se lamentar, nosso amor passou por mais uma prova díficil, mas está aqui, intacto. Feridas? Sim, claro! Estas sobraram, mas estão aqui pra lembrar que até as pessoas mais bondosas são capazes de ferir.
Vem, segura minha mão mais uma vez e vamos dançar a valsa, dessa vez não quero te ver sozinha numa sala, mas sim agarrada ao meu corpo e embalando ao sabor do vento, deixa as águas desse rio da vida passarem, nós só precisamos mesmo é de coragem e força de vontade e isso meu amor, eu tenho por dois.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

21

Completar vinte e um anos é bom, mas melhor ainda é chegar aqui e saber que se viveu intensamente todos os dias desses vinte e um anos de pura batalha.

Vinte e um anos de lições.
Vinte e um anos de aprendizagem.
Vinte e um anos de amores mal amados.
Vinte e um anos e uma esperança de amar novamente.
Vinte e um anos de inquietação.
Vinte e um anos de não saber o que dizer.
Vinte e um anos de falar através do silêncio,
Vinte e um anos de expressões pelo olhar.
Vinte e um anos de muita preguiça.
Vinte e um anos de muita maestria em prosear.
Vinte e um anos de querer bem a todos e ao mundo.
Vinte e um anos indo contra o mundo.
Vinte e um anos a procurar.
Vinte e um anos batalhando.
Vinte e um anos vencendo (algumas).
Vinte e um anos perdendo (outras).
Vinte e um anos sem arrependimento.
Vinte e um e muito mais.

Poetas

Somos poetas de falsos sentimentos,
De inebriantes ornamentos poéticos.

Somos poetas de pouca (Ou nenhuma) poesia,
De cenas inventadas e mistificadas.

Somos poetas quase em todos os tempos,
De amores patéticos e textos quilômetricos.

Somos poetas de noite e de dia,
De mil vidas mal amadas.

Somos poetas de rua, ou de casa.
Somos patetas platônicos,
Sem vergonha na cara.

Somos poetas sinceros, rimando entre:
Marcelo, marmelo e martelo,
De caráter singelo.

Somos poetas que sofrem em silêncio,
Poetas que declamam suas dores em tom baixo.
Somos somente poetas.

Anjos e insetos

Entre anjos e insetos eu vou andando, rasgando o manto da solidão e subindo sem olhar pro chão.
Aqui no alto não há dinheiro, nem obsessões, não existem posições sociais e nem reputação a construir, há apenas o vácuo que me ouve e me faz mergulhar numa revolução de ideias, ao passo em que você segue como um escravo do sistema da moda, da estupidez, da semiótica mesquinha de todos os deuses de óculos escuros estranhos e letras ridiculamente desumanas.
O amor, a vida, a paixão fugiram comigo para este lugar, desdenhando qualquer tipo de merda que ouse nos desejar, as posses se foram e, com elas, o medo de não agradar, ou não ser agradado.
Você pode apenas ganhar, mas descubra antes quem você é de verdade, suba alto o suficiente pra se sentir livre, não pense no medo de quebrar a cara ou de cair em desgraça, vivemos assim mesmo, entre anjos e insetos, batalhando por um espaço único no universo.

quarta-feira, 31 de março de 2010

Armas arcaicas

As palavras são armas, capazes de deflagrar guerras, ou dá-las por encerradas.
São armas que condenam uma alma a viver angustiada, ou até mesmo resgatá-la da dor.
As palavras são armas que cortam e não ferem, que invadem enquanto não se percebe.
As palavras são armas que cuidam do seu jardim, ou apenas o destrói e põem a tudo isso um fim.
Elas antecedem a primeira lâmina surgida, porém, são tão mortais quanto, senão, mais devastadoras.
Cuidado caro amigo! Jogar com palavras é brincar com armas arcaicas, que trazem em si a surpresa da dor, ou da alegria.

Loucura

Estou louco!
Louco pra sair e cantar
Louco pra amar e sofrer
Louco pra beber e comer
Louco pra rir e chorar.

Sim, é verdade!
Enlouqueci de bondade
Enlouqueci de desejo
Enlouqueci no teu beijo
Enlouqueci de saudade.

Estou louco!
Louco pra falar e calar
Louco pra cair e levantar
Louco pra lutar e vencer
Louco pra aprender a viver.

Sim, é verdade!
É fato que enlouqueci
Enlouqueci por viver
Enlouqueci por amar
Enlouqueci por você.

Sou um louco!
Louco por admitir [a mim mesmo]
Louco por revelar
Louco por prosseguir
Louco por acreditar. [sem temer a dor]

terça-feira, 30 de março de 2010

Texto de Drummond

A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos,na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável. O sofrimento é opcional.

A Um Ausente (Carlos Drummond de Andrade)

Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.
Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enloqueceu, enloquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?
Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.
Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Dica

Poesia, leia uma por dia, pois elas só são boas em doses homeopáticas.
;)
Por: Professor Washington.

Quando tudo fica bem

Tudo bem em esquecer e chorar, eu ainda estou aqui. Continuo a cantar sobre o que acredito e o que quero, continuo a despertar o afeto em almas alheias sem me importar com o que vem depois da dor.
O vento canta bem alto em minha cabeça que não é bom ignorar o mundo e seus problemas, então vou aqui mais uma vez pra luta, espero ter sido bom o suficiente pra te guiar por um bom tempo, mas agora estou além do alcance de qualquer pessoa. Como uma estrela cadente que rasga o manto negro da noite, eu passo e não pretendo cair, é hora de pular e me sacrificar mais do que nunca, espero que os textos passados façam um novo sentido pra você, espero que ache o que busca, pois as respostas para suas perguntas você já respondeu sem perceber e sem lembrar.
Dei as costas para este e mundo e decidi correr, se um dia, porventura, quiser me encontrar, lute pra me alcançar, estarei aqui correndo e esperando alguém me encontrar.

Minha perfeita imperfeição

Eu sou aquele que diz não pro sim. O cara das mãos macias e toque trêmulo, do ritmo lento e gostoso de se acompanhar.
Sou eu de lábia famosa, de gestos malandros e atitudes de homem, sou eu o medroso mais corajoso, determinado e louco desse mundo. Sou assim meio imundo, sou quem chega em casa no fim do dia suado e fedendo, mas que fica guardado na memória alheia pelo perfume que exalo de dia.
Sou eu quem adora ficar calado em meio à multidão, mas que também ama tagarelar entre irmãos, sou eu meio torto e bem reto, dos inúmeros risos e afetos, sou eu um todo palhaço, todo largado, mas também um pouco vaidoso e, em bons momentos, perfeitamente arrumado.
Sou um romântico gélido, amante dos sonhos e da solidão, perdido entre rostos, mãos e pernas que surgem em meio à esse turbilhão, sou um ninfomaníaco engraçado, um puritano desvairado, sou um guerreiro que luta e persiste, que acredita e insiste.
Sou eu de cores e amores, de palidez e serenidade, de obscuridade no olhar e nas palavras, sou eu que quer mais gestos que declarações, mais atitudes do que promessas, sou eu que sou perfeitamente imperfeito, dançando à esmo, vagando à passeio em busca do abraço que me traga o tão buscado zelo de mulher.

Triste boemia de um malandro

Está ficando tarde e a música continua a tocar.
Andei um pouco, apaguei o cigarro, desisti de fumar.
Olhei pra cima e estava lá! Brilhando linda e nua - a lua à beira mar.

Dançando empolgado e só, bochecha com bochecha com a solidão.
Coração na mão, mas um sorriso estampado.
Meu terno vagabundo rasgado, minhas mãos macias segurando dados.

Cantei sem ligar pra tons, timbres e letras
Cantei por cantar, quero que esta noite passe devagar.
Vem! Vou te ensinar a viver a vida de forma divertida.

O sexo é bom, mas o que eu quero hoje é só o silêncio da sala
Beber mais um pouco do que restou da garrafa de vinho.
E sentar na sarjeta, quero ficar só mais um pouco sozinho.

Balanço a cabeça e peço pra música não parar
Minha cabeça é como uma discoteca, uma balada eterna.
Mas ainda assim, estou aqui a te desejar.

Me beija de novo, crava tuas unhas na minha costa
Arranca minhas mágoas e minhas frustrações
Me faz querer ser que nem você e quebrar todos esses corações.

Hoje quero me abster de razões e ser só eu e o mundo
Quero que me chame de vagabundo e me leve no olhar
Estás convidada a me acompanhar na triste boemia de um malandro.

Meu jeito

Eu dou um jeito, eu me viro
Sambo torto, mas danço
Danço pouco, mas muito divirto.

Deixa vir que eu encaro
Faço da luta uma brincadeira
Canto a dor numa serenata.

Cai aqui do meu lado!
Vem aqui pra batalha
Vamos rodar o mundo
Vamos expor a alma.

Pode vir que eu não volto
Encaro olho no olho
Mordo os lábios e provoco.

Vem aqui do meu lado
Prova um pouco de mim
Me ama com esse seu jeito meio assim.

Pecados

Pecados desvairados de um homem qualquer
Pecados de quem é certo, mas que de certo
Não tem medo de ser o errado também.

Pecados indigestos à ouvidos imaturos
Pecados desses lábios carnudos e das mãos macias
Pecados de noite e de dia
Pecados...

Pecados quentes e frios
Com e sem roupa
Pecados de homem e mulher
Pecados de quem quer

Pecados de um principe malvado
Pecados de um louco, desvairado
Pecados na cama, no sofá, no chuveiro
Pecados com gosto de café.

Pecados marcados por arranhões
Puxões, gemidos e amassos.
São todos meus pecados
São pecados que eram destinados apenas a uma mulher
Mas que agora foram espalhados entre várias distrações.

Pecados que curam
Pecados que matam
Pecados de alívio
Pecados de culpa

Esta é minha luxúria salvadora
Este é meu lado selvagem
Este é meu ápice de homem
Estes são meus pecados.

Regados à palavrões e agarrões
Imunes de pudor
Pecados picotados e dividos
Entre uma e outra mulher
Pecados que ainda devem ser perdoados.

Um projeto de poesia

E toda essa distância entre teus dedos e os meus será suprida
E todo essa disposição será merecida no nosso primeiro abraço
E todo esse zelo será acolhido com prazer em meu peito
E todas tuas palavras falarão o que quero, e não quero ouvir.

Pois em você existe o afeto, o respeito e a admiração
Pois em você eu vi de fato, o amor, a doação
Pois em você existe uma amiga, uma mãe, uma irmã
[Uma mulher]
Pois em você existe esse "bem me quer" e essa certeza do que desejas.

E todo dia irei lutar por ti
E todo minuto te abraçarei
E todo mundo saberá o quanto andei
E qualquer tempo não correrá durante nosso abraço.

Maravilhas de mil vidas passadas e futuras
Milhões de beijos bobos, quentes, apaixonados e proibidos
Mil maneiras de tornar a noite em dia e vice versa
Mas só uma e só um pra somar dois em um.

domingo, 28 de março de 2010

Barulho

Eu percebi que ainda resta dor no fundo do meu coração, mas eu sigo com essa cicatriz assim mesmo.
O som perceptível do vento me traz a notícia de que não é pra ser o fim, mas o recomeço, sacudir a poeira e andar por aí novamente, aos poucos vou me movendo e conseguindo sair deste lugar.
A chuva esconde minhas lágrimas e o sofrimento de saber que quando eu era o mais forte entre todos, a minha única fraqueza foi você.
Mas agora estou de novo lutando, caminhando de pernas bambas, cambaleando meio tonto entre um e outro copo de martini, mas convicto que tenho que sair daqui e fazer barulho.

sexta-feira, 26 de março de 2010

Receita

Seguir as coisas boas sempre, lutar pelo que é certo, lutar pela minha verdade com as forças que Deus me deu, me doar de corpo e alma no que faço, quebrar a cara e levantar novamente, vamos viver!

;)

quinta-feira, 25 de março de 2010

Meu infinito particular

No meu infinito particular existe um mundo, onde tempos estranhos me fazem sonhar deitado no sofá.
Aqui eu posso observar o tempo passando, posso ter o horizonte só pra mim, posso viver rindo, correndo, chutando a bola na chuva, posso passar a tarde falando e contando piadas, navegando em meio à paz do meu canto, posso estar com amigos e vencer meus inimigos, posso ser imune ao amor, posso ser racional e brincar de ser idiota enquanto o mundo dá suas voltas.
No meu infinito particular existe uma feira, onde vendo meus sonhos e minha ideias, onde compro batalhas perdidas e as venço logo em seguida, aqui, bem aqui onde só entra quem agir de forma correta, onde eu vago procurando por algo que não sei bem o que, aqui onde felicidade é realidade, e não utopia.

AMOR PRA RECOMEÇAR


FREJAT


Eu te desejo
Não parar tão cedo
Pois toda idade tem
Prazer e medo...

E com os que erram
Feio e bastante
Que você consiga
Ser tolerante...

Quando você ficar triste
Que seja por um dia
E não o ano inteiro
E que você descubra
Que rir é bom
Mas que rir de tudo
É desespero...

Desejo!
Que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda, exista amor
Prá recomeçar

Eu te desejo muitos amigos
Mas que em um
Você possa confiar
E que tenha até
Inimigos
Prá você não deixar
De duvidar...

Quando você ficar triste
Que seja por um dia
E não o ano inteiro
E que você descubra
Que rir é bom
Mas que rir de tudo
É desespero...

Desejo!
Que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda, exista amor
Prá recomeçar
Prá recomeçar...

Eu desejo!
Que você ganhe dinheiro
Pois é preciso
Viver também
E que você diga a ele
Pelo menos uma vez
Quem é mesmo
O dono de quem...

Desejo!
Que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda, exista amor
Prá recomeçar...

Eu desejo!
Que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda, exista amor
Prá recomeçar

Esse é meu último desejo antes de ir de vez Vê, fique bem e seja o que Deus quiser.

:)

Sorriso


"Smile, lächeln, sourire, sorriso."

Sorria! Você NÃO está sendo filmado, mas está vivendo e aprendendo, sorria por acertar, mas sorria por errar também, viva e acredite, traga seu sorriso até mim e vamos sorrir até o fim.
Dê passo após passo, sente na mesa e estude os livros, olhe dentro das janelas das casas ao caminhar pelas vielas da vida, descubra o significado do significante independente da referência, descubra a rosa de um amante.
Sorria, espalhe alegria, doe-se, distribua vida, corra na chuva, chute a bola na lama, não pare tão cedo, sorria para aqueles que erram feio, seja tolerante, sorria o bastante, afinal, rir de tudo é desespero.
Sorria após o choro, sorria de ironia, sorria de sarcasmo, sem ter medo do mal da vida, sorria! Distribua o sorriso e mostre aos seus amigos que o bom da vida é não ter medo, sorria depois de uma dor de cotovelo, sorria pra comemorar e pra tripudiar, mas sorria!

Eu desejo o teu sorriso, desejo a tua paz, desejo uma luz que te guie pelo caminho da vida, desejo um sorriso que seja teu farol e quando estiver cansada, possa repousar sorrindo nos braços do teu parceiro.

SORRIA!

Vou

Vou te contar como acordei hoje cedo, te contar como é rotineiro sonhar com o passado e o possível futuro, vou te mostrar como sorri hoje sem igual, me livrei das coisas ruins e deixei apenas as boas, fiz delas minhas malas, minhas asas, minha passagem pra lugar qualquer.

Vou te mostrar quão bom é recuperar o brilho no olhar e sorrir sem ter medo, cantar sem desespero, me mover por mim mesmo.

Vou andar, sapatear, dançar até! Vou mudar o mundo e não deixar que ele me mude, vou ser mágico, navegar pelo horizonte como fazia antes de atracar meu barco em seus braços.

Vou a sabor do vento, vivendo e aprendendo, estudando e ensinando, lutando e vencendo. Vou sem rumo, vou na fé, vou remando contra a maré.

Vou que vou e não sei se volto, mas vou! Vou de queixo erguido e peito aberto, pois a graça na vida está nos riscos que o oceano da vida impõe, vou num voo, vou a pé, ou quem sabe, vou galopando num cavalo qualquer.

Vou, apenas vou! De agora em diante apenas indo, rindo e roubando sorrisos, de todas as palavras o que restou? Nenhuma, pois eu só costumo guardar mesmo os gestos de amor.

"Vou te contar o que os olhos já não podem ver... Pois a vida é bonita, é bonita e é bonita!"

terça-feira, 23 de março de 2010

Desabafo

Então é assim? Sem um adeus decente, sem um ranger de dentes, ou quem sabe, uma cena dramática qualquer, será que os pecados entre nós dois foram tão graves a ponto de cortar todas as memórias e momentos bons que vivemos, só com um golpe?
Eu venho vendendo sorrisos falsos, soltando piadas desesperadas, passando a imagem de um cara que está conseguindo superar aos poucos, mas a verdade é que eu estou me afogando em lágrimas enquanto vejo os amigos dando suas risadas à custas das minhas loucas palhaçadas.
Queria entender de fato o que houve, queria um motivo, ao menos uma encenação, queria que fosse corajosa o suficiente pra me encontrar testa a testa e me falar o que te fez passar de "o amor da minha vida", à batalha a ser vencida dia-após-dia. Não sei bem como agir agora, não quando eu fiz as coisas certas, não quando eu me esforcei, me dediquei, me doei e em troca, fui jogado para longe como qualquer coisa asquerosa e imunda, isso me faz refletir sobre as minhas verdades, sobre arrancar de mim a necessidade de encontrar um amor, isso me faz voltar a viver por trás de muros altos, em um mundo onde só chove.
Você me fala sua parte, mas cada vez mais eu só percebo o quanto está perdida por aí, o quanto está caindo nas armadilhas da sua mente complexa e do seu coração arredio, me dou conta da sua imaturidade, da sua confusão. Você pode não sentir a mesma dor que a minha, mas tudo bem, o pior disso tudo é saber que um dia você vai perceber que tudo que eu fiz foi realmente te amar, que tudo que eu fiz foi lutar por você, nadando contra a maré, matando um leão por dia, andando pelo caminho a pé, o que me dói mais é saber que um dia você vai olhar pra trás e vai pensar duas vezes, talvez se arrependa, ou talvez não, afinal, não sei mais o que esperar de você, talvez um dia você se dê conta do quão covarde está sendo, do quão injustos são teus atos, talvez um dia, quando você estiver lá no seu apartamento, fazendo seus julgamentos, se olhando no espelho e se auto afirmando como alguém simples, você descubra o que de fato é simples nesse mundo.
Espero que siga e supere isso logo, em mim restarão sempre dúvidas, mas sinto que sob esse teu silêncio e desprezo, essas dúvidas logo se tornarão rancor e repulsa (espero estar errado). Te desejo somente as coisas boas, torço pra que encontre alguém que te faça ver que é ímpossivel ser entendido por meio de mágica, mas que é muito simples se fazer ouvir através do diálogo, da fala, espero que nunca mais minta pra ninguém, que nunca mais esconda por trás de um "eu te amo" a sua angústia e sofrimento, espero que não cobre mais ninguém, que não peça dos outros as coisas que você não pode dar, que não chute mais ninguém de forma covarde e imatura, espero que não procure desculpas pra deixar de lutar, pra matar seu parceiro e fugir só porque o peso das tuas dúvidas estão te dobrando os joelhos, espero que leve de mim as coisas boas, ao menos isso eu tenho a honra de te dar, mas não sei se posso dizer o mesmo de você, pois a única lição que tive nessa semana foi a de deixar de acreditar, a de que eu desde o começo estava certo, aliás, viu? Eu sempre disse que estava certo, pena ter caído dessa maneira.

P.S.: Eu ando tão cansado, tão derrotado, não sei bem de onde tiro forças pra caminhar, mas hoje decidi parar de me mover, parar de lutar por algo que não quer ser conquistado, decidi não me humilhar mais, já basta a dor do desprezo, o desespero do medo de seguir em frente, a humilhação de não ter direito nem se quer de um último olhar, espero que você siga em frente e possa achar novamente o caminho em que você me colocou, espero que um dia possa entender o meu lado, o que, se por ventura ocorrer, não te faça vir atrás de mim, porque essa dor foi o que restou do nosso amor, ela vai perdurar para sempre, vagando pelos cantos escuros de mim, buscando um rumo qualquer que me faça fingir que ta tudo bem, que ta tudo legal.
Obrigado viu? Quando você chorou e caiu, eu estava lá, voltei da porta do meu sonho pra te consolar e te mostrar que era com você que eu queria ficar, espero que seus sonhos possam valer a pena, porque se eu soubesse que seria assim, teria entrado naquele avião enquanto o sentimento não era tão forte, teria dado adeus e voltado numa primavera qualquer, quem sabe assim não seria mais fácil? Quem sabe assim não seria mais digno para ambas as partes? Meu conselho final é, não se rebaixe a tanto, não ponha o amor em um pedestal por causa do seu parceiro que acredita na utopia do amor, seja firme, lute por um EU, não por um NÓS, conquiste suas lutas sem olhar pro lado, seja egoísta, seja polêmico, fique com quem te aceita como você é, não quem foge na primeira dificuldade.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Este é o primeiro e último relato de um diário que só será atribuido ao hoje.

Alguns dias você acorda feliz, mesmo tendo encarado o maior gelo da sua vida, mesmo vendo sua ex namorada se esquivar de maneira covarde de você, mas é como disse, você acorda feliz pelo simples fato de ser um novo dia, novas possibilidades de fazer a coisa certa, de mostrar o quão bom você pode ser pra ela.
Então as coisas começam a dar certo de forma estranha, sua família se reúne sem fofocar de ninguém, seus amigos lembram de você, seu pai ausente te liga e sua tia distante aparece e, quando tudo parece estar na perfeita ordem, você toma o maior golpe que pode tomar, a dor é tanta que quase não se sente dor, pra ser sincero, não sei se é verdade, ou se foi maldade, não sei, juro que não sei de mais nada! To tão surpreso que minha mágoa quase não é sentida, é díficil assimilar o fim depois de tanto esforço e tanto amor. Injusto é se apaixonar logo depois de ter decidido que o amor não existe, mas ele existe, existe pra te elevar no ponto máximo do céu e depois te fazer despencar como uma pedra que se espatifa em mil pedaços, é duro demais crer que nossas mãos não irão se encaixar uma vez mais, é duro não sentir tuas carícias e não poder lembrar de uma das noites mais lindas da minha vida, a noite em que eu e você estavamos no sereno conversando sobre apartamento e filhos, mas agora no lugar de tanta euforia e sentimento, restou um vazio, um vazio que busca desesperadamente achar as razões que fizeram isso tudo acontecer.
Mas sabe o que é pior mesmo? Olhar pra frente e perceber que o pra sempre se foi nesta tarde, que a saudade vai permanecer sem poder morrer, que eu vou ler você noite após noite sem saber o que dizer ou como agir, que isso vai se refletir nas minhas aulas e na minha cara, nas mãos escondidas nos bolsos e nas lágrimas escorridas naqueles momentos sozinho na sala, Deus! Só ele sabe o quanto te amo, mas nada será útil agora, é hora apenas de chutar o pau da barraca, tatuar na pele a coruja alada e meter o pé na estrada no ônibus da empresa do seu pai, buscando um novo rumo pra mim, numa cidade qualquer que acolha minha solidão, trancafiado num quarto alugado, longe do mundo, estudando pra conquistar a nossa ilusão.

domingo, 21 de março de 2010

Pra ser sincero...

Eu ainda seguro nossa foto como se fosse algo natural, como se amanhã de manhã fosse acordar e te poder mandar sms's e te ligar pra ouvir tua voz.
Ainda leio nossas palavras e lembro das risadas dadas durante as tardes dos melhores dias da minha vida, aliás, que houve afinal? Quando meus melhores dias se tornaram os piores a serem lembrados? De um minuto pro outro todo amor virou dor, um turbilhão que me cega e me faz chorar tudo que não chorei ao longo de muitos anos se..cos.
Queria poder olhar nos teus olhos pra entender o que houve, queria poder ser mais forte, mas no momento, deixo que amigos, familiares e inimigos me vejam desmoronar, não faço mais questão de ser visto, apenas quero deixar toda a dor escorrer pelas lágrimas, pois de todas as pessoas desse mundo, eu jamais esperei isso de você, justo você, que pareceu ser tão corajosa.
Mas a vida segue, vou chorar e me rasgar por um bom tempo, mas acho que posso suportar, tenho planos de fazer minha tatuagem, ganhar uns quilos de massa muscular e, o principal, de viajar e te deixar aqui, espero ir pra bem longe onde nenhum daqueles lugares em que fomos possa me lembrar você, porque você não imagina o quanto ta doendo, o quanto ta matando por dentro todas as esperanças de que amor existe.

terça-feira, 2 de março de 2010

Dois meses


São dois meses de duas pessoas que constituem duas vidas, dois caminhos e dois conjuntos de sonhos.
São dois meses que tornam o número dois mais que especial, dois meses que o tornam cabalístico, quase divino. Vamos então comemorar, trocar beijos e dedicar amor e zelo um ao outro, quero teu gênio forte e teimoso comigo pelo resto da vida, quero teus cuidados e teus mimos daqui pra frente, teus toques e tua coragem que firma nossos passos durante o longo caminho a ser percorrido.
Segura minha mão e vem comigo andar por aí! Rir das piadas, deitar sobre a palha numa tarde que pinte nosso retrato num crepúsculo apaixonado.
Meu presente hoje cabe na palma da mão, se guarda no coração e se degusta ao longo da vida, eu mesmo fiz, colhi um pouco do teu cabelo, dos teus olhos, da tua boca, do teu beijo, agora está aqui comprimido e estendido sobre as linhas do meu destino, doado com a pureza da minha alma, é ele! O meu amor por você, feito sob medida pra encaixar no teu coração e te preencher de felicidade daqui para todo o sempre.
Certa vez minha mãe me deu de presente o seguinte conselho: "ache uma mulher e achará o amor", agora estou aqui, pondo tudo em prática e descobrindo o amor passo a passo ao teu lado minha vida.
Que neste segundo mês nossa união esteja mais forte, nossos sonhos mais próximos de se tornarem realidade e nossas almas mais entrelaçadas do que nunca, eu te amo minha amiga, minha namorada, minha esposa, minha vida.

P.S.: Texto escrito ao som de "Simple Man do Lynyrd Skynyrd".

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Lembrar de você

Eu caminho por horas e horas procurando algo que me leve até você, um transporte qualquer, uma luz que me teleporte para o teu lado, pra sentir novamente aquele corpo deitado sobre meu colo, pra ver uma vez mais aqueles olhos destacados no escuro, me fitando novamente. Erros e acertos constroem um caminho, força de vontade supera um destino e eu decidi que meu destino será você.
Nossas conversas ecoam como um mantra de paz na minha mente audaciosa, que ousa cruzar as ruas e avenidas só pra chegar ao teu lado na cama e te abraçar, me diz que eu sou o errado da história, me fala que eu sou idiota, se quiser pode até me bater, mas quero que saiba apenas de uma verdade: Eu sou louco por você, louco pela nossa sintonia, pela tua voz cantando em tom baixo e harmonioso, do teu beijo que me deixa roxo, do teu abraço que me faz ser o teu esposo.
E antes de mais nada, entenda que minhas lágrimas só rolam por você, pelo conforto do teu existir perto do meu, pela nossa alegria que só cresce mais e mais.
Eu não posso ser perfeito, mas posso tentar ser o melhor pra você, as cicatrizes recordam o passado, mas é você quem cuida delas agora e faz o futuro acontecer, o que dizer de tudo isso? Simples, vamos prosseguir amando, pois minha vida agora é tua, minha força eu compartilho com você, nossa sentença a partir de hoje é apenas a de lutar pra vencer.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

O meu verbo de amar

Amar é galopar sobre as horas numa velocidade dirigida pelo ritmo que a harmonia do nosso beijo dita.
Amar é sorrir por coisas bobas e sem sentidos à olhos e ouvidos alheios, é unir dois universos distintos em um toque de dedos, é falar sem emitir sons, é pedir mais um abraço apertado e mais um beijo demorado.
Amar é usar a lógica do amor, é enfrentar a dor sem medo, buscar no outro o próprio desnorteio, é achar na loucura, a mais sábia das razões - a razão do coração.
Amar é escrever por horas a fio sobre as sensações sentidas e causadas, sensações essas que hoje são compartilhadas entre meu corpo e o teu, entre minha alma e a tua.
Amar é não ter medo de ser verdadeiro, é sentir o sentimento se tornar sólido, ao passo em que o medo transforma-se em coragem.
Amar é cantar desafinadamente e, ainda assim, conquistar os teus suspiros, amar é isso, olhar pras nossas tardes e poder fechar os olhos e respirar fundo, sentindo toda a nostalgia das lembranças que ficaram das nossas carícias trocadas.
Amar é admitir que eu surto por você, que eu choro por você, que eu sou uma criança amedrontada sem você, amar é não ter medo de admitir meus erros, amar é usar aquelas velhas mentiras pra chegar numa verdade final: O meu amor por você.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

A luz dos teus olhos

Eu caminho quilômetros dentro deste quarto, procurando aquele abraço novamente, dando passos e mais passos, buscando decidir se rio ou se choro, procurando pela luz dos teus olhos novamente.
Daqui deste lugar eu ouço o relógio tocar sua melodia sarcástica que acompanha as canções de saudade do meu coração, me fazendo confessar que sinto tua falta todos os dias, a cada movimento dos ponteiros, a cada badalada das horas, em cada intervalo entre um suspiro e outro, causando minhas lágrimas a cada crepúsculo que se vai após esses dias chuvosos, que aliás, vão marcando no calendário e no telhado da casa os dias sem tua existência dentro dos limites do meu abraço.
Eu sinceramente não sei o quão forte sou, mas sei que não sou forte o suficiente pra calar e aceitar tua falta, então deixa o mundo saber que a cada aurora eu corro pra varanda e espero o sol te trazer pra mim, sempre de braços abertos eu fico aguardando a tua visita, ou quem sabe, qualquer saída que me leve até onde nossas mãos se encaixem novamente, onde nossas bocas se toquem embaixo daquele horizonte cor de rosa e dourado, especialmente pintado para nós dois.
Queria até ter um pedido à ser realizado, desejaria brincar de existir sempre ao teu lado, de forma concreta e também abstrata, queria poder ser onipotente na sua estrada, te protegendo e te salvando de qualquer perigo. Deixa eu brincar de ser feliz, deixa eu brindar ao nosso sonho, respirar cada momento vivido ao teu lado, segurar cada pedaço da nossa felicidade enquanto tento advinhar onde você está, me deixa correr e cantar na chuva de mãos dadas com a tua memória, desejando mais uma vez o calor do teu rosto junto ao meu, quem sabe assim eu não termine o dia sorrindo e isento de qualquer saudade.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Nova Verdade

Estamos no auge da festa, onde normalmente as máscaras caem e as verdadeiras faces são reveladas.
É hora da diversão, toquem a música para cantar a tragicomédia, este é o fim? Não caro amigo, é apenas um novo começo, disfarce seu constrangimento, dance e beba até cair, esta noite é mais que bem vinda para quem deseja desistir da seriedade da vida.
Rostos de porcelana estão manchados pela maquiagem, a lágrima rola numa viagem sem volta, deixa seu rastro de fogo na face do medo, perdemos aquele zelo, perdemos a vergonha na cara, ou talvez seja apenas o receio de sermos vistos como somos.
E como um motorista experiente, a bebida me dirige à insanidade, já sinto saudade do meu equilíbrio, este é um sonho que eu preciso sonhar, é uma chance que eu não deixarei escapar.
Silêncio! A noite fala, ouça com cuidado e faça bom proveito de suas palavras, agora nós seremos os melhores, seremos a mais ousada perturbação ao destino, o mais dolorido desatino ao tempo, quem sabe o que nos espera no julgamento? Sem olhar pra frente e esquecer do presente, eu pretendo seguir assim, forte e alucinado, louco pra saltar obstáculos, louco pra fazer o meu destino, serei assim, meio príncipe, meio heroi, meio vilão, meio lunático, viver pra ser paz, viver pra ser mais, viver de verdade.

sábado, 2 de janeiro de 2010

Camisa branca

Noite selvagem, saltimbancos que fazem malabarismos entre olhares, cupidos atirando sem alvo, dedos que se perdem a navegar as curvas dos corpos alheios, tudo faz parte do show, tudo faz parte do desespero, tudo faz parte do zelo, a arte da conquista e da reconquista.
E de repente em meio a esse espetáculo, percebo que teu abraço marca a minha camisa branca, transpassa o tecido e tatua sobre a minha pele o teu signo de amor, então você se torna o ar que eu respiro, a força da minha fé, se torna a minha fraqueza e minha fortaleza. Crer no destino? Talvez, sim, talvez eu deva creditar a ele a chance de ter te conhecido, mas daqui pra frente quero crer apenas em nós dois, nas voltas que demos várias vezes pra poder chegar aqui e mostrar pro mundo que estamos além do horizonte, onde homem algum pode pisar sem um amor de verdade.
Sim! Você é meu amor de verdade, a inspiração das minhas palavras, a onda furiosa que lava de minha alma os medos e receios, contigo posso chegar lá, ao teu lado posso finalmente achar aquilo que procuro, pois teu amor é meu escudo e tua voz a canção que me embala para as batalhas, sim amor, estou aqui diante dos teus olhos, me expressando através destas palavras, pra declarar que você despertou em mim este lado romântico, cheio de nuances de humanidade, em meio a tanto contraste de emoções e sensações, você foi certeira naquilo que merecia destaque e, com maestria, enalteceu em mim o dom da coragem e a força do amor, quero estar contigo aonde você for, sem importar a distância, pois você é o meu refúgio, a minha paz, a menina que Deus enviou para ser meu par.